Funesa alerta para cuidados e prevenção com a saúde mental

Engajada na campanha Janeiro Branco,  que tem como objetivo mobilizar a população a favor dos cuidados com a saúde mental, a Funesa orienta sobre prevenção

Conscientizar as pessoas sobre a importância da saúde mental e fortalecer a qualidade emocional são objetivos do Janeiro Branco, mês dedicado a orientar as pessoas para os sinais de esgotamento mental e suas consequências. Nesse sentido, a Fundação Estadual de Saúde (Funesa) se engaja na campanha e reforça a importância do cuidado com a saúde mental.

A psicóloga e gerente de Estágios da Funesa, Danielle Barreto, explica que são diversos os fatores que contribuem para a perda de saúde mental. “Isso vai depender de cada indivíduo. Em geral, os sintomas mais comuns são estresse, ansiedade, insônia diária, isolamento, desânimo e apatia, falta ou excesso de apetite. Não é saudável para a mente e o corpo quando esses sintomas ocorrem com frequência”, comenta Danielle.

Ela se refere à escolha da cor branca para representar o alerta à saúde mental, observando que se trata de uma referência ao papel em branco, onde se pode escrever uma nova história em relação à saúde mental. “Podemos projetar, escrever ou desenhar expectativas, desejos, histórias ou mudanças com as quais sonhamos e às quais desejamos concretizar”, pontua a psicóloga. 

Sobre os fatores que podem levar o indivíduo ao adoecimento mental, Danielle cita o desemprego, a violência, cargas de trabalho excessivas, redes sociais, relações tóxicas e a insegurança. “Acredito que as pessoas estão cada vez mais ansiosas e deprimidas. As demandas impostas no mundo de hoje, o estresse causado pelo isolamento da pandemia, tudo isso vem causando muita insegurança e pouca qualidade de vida”, alerta.

Olhar clínico

O médico telerregulador do Núcleo de Telessaúde da Funesa, João Cavalcante, lembra que o mundo moderno pode ser muito estressante e, para alguns indivíduos, chega a ser adoecedor. “Tudo isso piorou após a pandemia da covid-19, quando o medo e o isolamento eram uma constante no nosso cotidiano. Segundo a Organização Panamericana de Saúde, os determinantes da saúde mental não dependem apenas de atributos individuais, como a capacidade de administrar os pensamentos, as emoções”, disse.

Ele ressalta que, segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, existem mais de 300 tipos de transtornos mentais catalogados, sendo que as principais doenças relacionadas à saúde mental são os transtornos ansiosos e fobias (medo exagerado e desproporcional de algo ou alguma situação). “Não podemos deixar de citar a síndrome do pânico, a ansiedade generalizada e os transtornos depressivos. Foi confirmado através de estudos que a maioria da população brasileira declarou possuir algum tipo de transtorno mental”, atenta João Cavalcante.

Causas

De acordo com o médico telerregulador, é muito importante ficar atento às mudanças de padrão, comportamentos que não eram esperados, sinais e sintomas como cansaço excessivo, irritabilidade, inquietação, falta de concentração, falta de paciência, alterações de sono para mais ou para menos e de apetite, abusos de álcool, drogas ou medicamentos, taquicardia e dores no peito, além de dores no corpo como as tensões musculares, lombalgias e dores de cabeça.

“Devemos notar os problemas digestivos, que também podem ser sinais de adoecimento psicológico como depressão, ansiedade, síndrome de burnout, entre outros. É preciso observar os vínculos afetivos que a pessoa possui, se eles estão se alterando. Principalmente se há um afastamento e isolamento de outras pessoas. Isso pode ser um sinal, um pedido de ajuda. É fundamental a avaliação de um profissional médico, que identificará o quadro e construirá um projeto terapêutico específico para cada pessoa. Realizar atividades físicas, ter uma alimentação saudável, estratégias de combate ao estresse, ao consumo do álcool e do fumo e avaliação do médico psiquiatra”, recomenda João Cavalcante.

O médico aconselha ainda que as pessoas reservem um momento para si, buscando realizar atividades alegres e prazerosas. “Reduzir o tempo nas redes sociais, inibir a ansiedade de informação, buscando atividades de meditação são ótimas opções, além das  técnicas de alongamento e relaxamento”, conclui.

Fotos: Nucom

Publicado: 17 de janeiro de 2024, 16:47 | Atualizado: 17 de janeiro de 2024, 16:47