Dia Nacional da Imunização enfatiza a importância das vacinas para a saúde da população

Data faz-se necessária para conscientizar a sociedade sobre a relevância de se vacinar e de manter as imunizações atualizadas


A Secretaria de Estado da Saúde (SES) celebra o Dia Nacional da Imunização nesta sexta-feira, 9. A data tem como objetivo conscientizar a população sobre a relevância de se vacinar e manter o calendário vacinal atualizado, tanto para o bem do indivíduo quanto para a saúde coletiva. Manter a vacinação em dia, mesmo na fase adulta, é um dos melhores métodos para evitar doenças e infecções. As vacinas estimulam a produção de anticorpos, o que garante imunidade e proteção contra a agressão dos vírus e bactérias ao organismo.

No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI), garante o acesso gratuito às vacinas, que protegem contra mais de 40 doenças. Devido a essa estratégia, doenças infecciosas como a varíola e a poliomielite foram erradicadas do todo território nacional. Além delas, meningite, difteria, tétano, coqueluche, sarampo, caxumba, rubéola, hepatites virais, gripe, pneumonia, tuberculose e febre amarela são outros exemplos de doenças que têm prevenção por meio da vacinação.

O  Brasil é referência mundial no processo de imunização há mais de 40 anos. É o que explicou a gerente de Imunização da SES, Sândala Teles. “Nenhum outro país fornece tanto imunobiológico como o nosso sistema do SUS. Durante esse tempo, evoluímos no processo de redução da mortalidade de doenças que são imunopreveníveis”, disse.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a interrupção do cronograma de vacinação, mesmo que por um breve período, pode aumentar a probabilidade de surtos e número de indivíduos suscetíveis a graves doenças imunopreviníveis. Por isso é preciso alertar a população sobre a necessidade do retorno para a continuidade do esquema vacinal, para que haja uma proteção total.

Cobertura vacinal em crianças

A gerente de imunização chama a atenção dos pais em relação às crianças, que neste período de sazonalidade têm intensificado os problemas respiratórios. “É importante que os responsáveis fiquem em alerta, não deixem de se imunizar e de levar as crianças também para vacinação. Até o momento, apenas 49% das crianças estão com o cronograma vacinal em dia, isso ainda é muito baixo”, alertou a gerente.

Publicado: 9 de junho de 2023, 19:27 | Atualizado: 9 de junho de 2023, 19:27