Serviço para pessoas com perda auditiva já devolveu qualidade de vida a 100 sergipanos

A dispensação de próteses auditivas é destinada a pessoas de qualquer faixa etária com algum grau de perda auditiva

Desde que começou a funcionar no ano de 2023, o serviço para os usuários com perda auditiva do Centro Especializado em Reabilitação José Leonel Ferreira Aquino (CER IV), equipamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES), já atingiu 100 pacientes beneficiados com próteses auditivas, também conhecidas como aparelhos auditivos.

O centésimo atendimento ocorreu no dia 1º de fevereiro e contemplou a dona de casa Ivonete dos Santos Souza, de 81 anos. Moradora de Nossa Senhora do Socorro, ela foi a centésima paciente a receber sua prótese auditiva, e contou sobre a dificuldade de escutar no dia a dia sem o aparelho. “Era muito difícil para mim conversar com meus familiares sem ouvir direito, e agora, que coloquei o aparelho, tudo mudou e consigo ouvir de fato o que me perguntam e falam. É uma sensação indescritível. Além disso, o processo como um todo foi muito rápido, onde dei entrada em uma Unidade Básica de Saúde e me encaminharam para o serviço do CER IV que tem sido fundamental durante o meu acompanhamento”, disse.

Assim como dona Ivonete, a paciente Valdinete Veríssimo Chagas, 79, também recebeu a sua prótese auditiva. Ela relatou que antes precisava pedir às pessoas para repetirem o que falavam, mas que com o aparelho tudo ficou mais claro. “O que mais me atrapalhava era essa deficiência na audição que me deixava muito triste por não conseguir compreender o que as pessoas diziam. Quando eu via todo mundo reunido, me esforçava para entender a conversa, e agora, com o aparelho, sinto que devolveu minha qualidade de vida”, contou Valdinete. 

Acompanhamento multiprofissional                 

A dispensação de próteses auditivas tem o intuito de melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência auditiva. De acordo com o gestor operacional da Reabilitação Auditiva do CER IV, Valmir Andrade, isso permite uma comunicação mais efetiva e o desenvolvimento infantil adequado. “Evita também o isolamento social e promove a melhoria no desempenho educacional e profissional. Antes de prescrever uma prótese auditiva, é essencial realizar uma avaliação audiológica completa para determinar o tipo e grau de perda auditiva do paciente e, assim, indicar o aparelho auditivo mais adequado às suas necessidades específicas”, explicou.  

Além disso, os pacientes passam por uma avaliação multidisciplinar envolvendo profissionais como fonoaudiólogos, otorrinolaringologistas, psicólogos e assistentes sociais. Durante essa fase, são realizados exames e avaliações para identificar as necessidades específicas de cada paciente. O acompanhamento e os ajustes regulares são fundamentais durante todo o processo, pois as necessidades auditivas do paciente podem mudar ao longo do tempo.  

Processo de adaptação

É importante destacar que o processo de adaptação de uma prótese auditiva pode variar de pessoa para pessoa até que o paciente se acostume com os novos sons e benefícios proporcionados pelo aparelho, explica o gestor operacional Valmir Andrade. “O fonoaudiólogo trabalha em conjunto com o paciente para garantir que a adaptação seja bem sucedida e que a qualidade de vida do paciente seja melhorada por meio do uso efetivo das próteses auditivas”, salientou Valmir. 

Acesso ao serviço

Os pacientes em busca de reabilitação auditiva devem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) pertencente às regiões de saúde de Estância, Itabaiana e Nossa Senhora do Socorro, para preencher uma ficha de encaminhamento ao CER IV. Após esse passo, é realizado o agendamento, em que os pacientes passam por uma avaliação multidisciplinar. Ressalta-se que o serviço possui um tempo de espera reduzido frente à inserção no serviço e aquisição com as devidas adequações nas próteses auditivas.

Fotos: Flávia Pacheco

Publicado: 5 de fevereiro de 2024, 14:42 | Atualizado: 5 de fevereiro de 2024, 14:42