Serviço do Crai promove atendimento humanizado a crianças e adolescentes vítimas de violência sexual

O Centro de Referência no Atendimento Infantojuvenil atende crianças e adolescentes vítimas de violência, gestantes e puérperas

Nesta quinta-feira, 13, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completa 33 anos de existência. Para garantir a assistência especializada, o Centro de Referência no Atendimento Infantojuvenil (Crai), presta atendimento humanizado voltado a crianças e adolescentes nos diversos serviços disponibilizados, como no atendimento às vítimas de violência, gestantes e puérperas. 

O ECA diz que todo cidadão que tiver conhecimento sobre alguma criança vítima de violência sexual, deve denunciar, sendo a violência sexual caracterizada como toda relação em que a pessoa é obrigada a se submeter a prática sexual por meio de força física, coação, sedução, ameaça ou influência psicológica. 

Além disso, a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes também trabalha no acompanhamento do pré-parto, parto e pós-parto deste público. Segundo a responsável técnica pelo Serviço Social e pelo Cartório da maternidade, Fátima Andrade, as crianças e adolescentes são prioridades absolutas, desde a admissão até o momento da alta hospitalar.

“Trabalhamos de forma integrada, com serviços médicos, assistenciais de diversas áreas, como as ações desenvolvidas pelo serviço social, que é responsável por notificar aos órgãos competentes quando há violações de direitos ou riscos para este público. O ECA foi e continua sendo um estatuto que trouxe inúmeros avanços e benefícios para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes”, destacou.

Foto: Ascom SES

Publicado: 13 de julho de 2023, 16:50 | Atualizado: 13 de julho de 2023, 18:48