Secretaria de Estado da Saúde registra primeiro caso de sarampo no Estado

O resultado do exame de sorologia realizado no Laboratório Central de Sergipe (Lacen) confirmou o primeiro caso de sarampo em Sergipe neste ano de 2018. Até o momento, 13 casos foram notificados, mas apenas este apresentou resultado positivo, segundo informou a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Mércia Feitosa. Ela explica, no entanto, que um exame complementar para identificação do vírus está sendo realizado pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz).

Feitosa ressalta que, nesta quinta-feira, 16, houve a notificação de que um adolescente de 15 anos estava com uma clínica compatível com o sarampo, apresentando sintomas como febre, tosse, coriza, conjuntivite e o exantema, que são manchas avermelhadas. Segundo ela, os sintomas começaram no último sábado, 11, mas as manchas só surgiram na quarta-feira, 15, o que fez a mãe procurar atendimento médico hospitalar na rede privada. Lá, o garoto obteve o diagnóstico de faringite, foi medicado e mandado de volta para casa.

“Com o surgimento do exantema, a mãe achou suspeito e entrou em contato com uma enfermeira amiga, que procurou a Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Aracaju que, por sua vez, nos comunicou o fato. Orientamos que fossem ao Lacen para fazer o exame para sarampo”, contou Mércia Feitosa.

Segundo ela, nesta sexta-feira, 17,  a SES obteve a confirmação do primeiro exame, que foi a sorologia, acusando a doença. “Apesar de estarmos aguardando o resultado do exame complementar, com a confirmação da sorologia, nós sentamos com a Vigilância Epidemiológica do município  e traçamos todas as ações em conjunto, iniciando com o bloqueio vacinal no hospital onde ela deu entrada”, disse.

O bloqueio vacinal a que ela se refere é uma medida preventiva adotada para impedir a disseminação do vírus, e se constitui em vacinar todas as pessoas que tiveram contato com o garoto e que não foram vacinadas contra o sarampo ou não comprovaram a imunização. Essa ação foi realizada nesta quinta e sexta- feira à tarde está sendo feita na residência e no condomínio onde o menino mora, no bairro Jabotiana. Na segunda-feira, 20, o bloqueio vacinal se estende à escola da vítima.

Caso importado

Em 2018, este é o primeiro caso confirmado e está sendo tratado como um caso importado, já que o adolescente passou o mês de julho, período de férias, em Manaus, onde há um surto iminente do sarampo. Considerando o período de encubação do vírus, que vai de sete a 14 dias, e tomando como base o período em que o exantema surgiu no corpo do garoto, Mércia Feitosa atesta que o sarampo não foi contraído em Sergipe.

Alerta

O caso está sob investigação e isso incluiu refazer os passos do garoto para se verificar a necessidade de realização de outros bloqueios vacinais. Além disso, a coordenadora de Vigilância Epidemiológica quer mais atenção dos profissionais de saúde casos que apresentem sintomas característicos do sarampo.

“Nós estamos emitindo um alerta epidemiológico para a rede hospitalar e, no caso do  município de Aracaju,  pera a rede básica, para que haja uma atenção aos casos que chegam com sintomas que são característicos e como esses sintomas podem ser confundidos com os de outras doenças, como a própria dengue, o alerta é para que tenha esse olhar mais crítico, já que nós temos um caso no território”, informou..

Campanha

O caso de sarampo chega durante a campanha de vacinação e às vésperas do Dia “D”, que acontece neste sábado, 18. E Mércia Feitosa faz um outro alerta, desta vez para os pais: “O sarampo é uma doença grave, mas é imunoprevinível.  Estamos no meio de uma campanha então o chamado é esse: vacinem suas  crianças, pois elas são mais vulneráveis às doenças. O sarampo mata, tem complicações, é uma doença grave, de transmissão rápida de pessoa para pessoa”, concluiu.

Foto: Flávia Pacheco

Publicado: 20 de agosto de 2018, 07:51 | Atualizado: 20 de agosto de 2018, 07:51