Secretaria de Estado da Saúde promove ação educativa na Fundação Renascer

 

Por Herieta Schuster

 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), através do Programa IST/Aids realizou duas ações  educativas com adolescentes da Fundação Renascer, repassando para eles orientações sobre as Infecções Sexualmente Transmissíveis. A primeira delas ocorreu na unidade masculina e contou com a participação de 17 jovens, da capital e do interior sergipano, todos cumprindo medida socioeducativa por decisão judicial.

 

O principal tema abordado pelo médico sanitarista e coordenador do programa, Almir Santana, foi a Sífilis, destacando a importância de fazer exames preventivos e da realização do pré-natal – que é feito pela mulher, mas deve ser acompanhado de perto pelos respectivos companheiros. “Quatro dos jovens que participaram já são pais e os outros possuem vida sexual ativa. Por isso falamos sobre a Sífilis, Aids e outras infecções, principalmente ressaltando a importância do preservativo nas relações”, relatou o médico.

 

Na Unidade Feminina (Unifem), a palestra foi voltada para destacar os sinais e sintomas da Sífilis e a importância de fazer os testes, inclusive, de HIV, para todas as pessoas sexualmente ativas. Segundo o coordenador Almir Santana, algumas perguntas surgiram sobre sexualidade, gravidez e o uso correto da camisinha. “Mostramos também que o HIV não se transmite pelo contato social e sim sexual, sem o uso do preservativo”, enfatizou.

 

A Coordenadoria de Saúde da Fundação Renascer, Joira Alves Lacerda, falou sobre a importância de encontro como esses. “Esse evento é uma forma de possibilitar o entendimento quanto aos riscos de infecções sexualmente transmissíveis caso os adolescentes não observem a necessidade de proteção nas relações sexuais. E, inclusive, estejam atentos quanto às causas e consequências que relações afetivas podem causar na vida deles”, pontuou.

 

Joira Alves explicou que as atividades que foram promovidas nos dois grupos de adolescentes (masculino e feminino) que se encontram sob a responsabilidade da Fundação Renascer, e que em cada momento as orientações estiveram adequadas às demandas dos respectivos grupos.

 

Publicado: 13 de dezembro de 2016, 16:23 | Atualizado: 13 de dezembro de 2016, 16:23