Secretaria de Estado da Saúde discute estratégias para enfrentamento das doenças sazonais

No encontro, os profissionais discutiram a atualização dos casos da Síndrome Respiratória Aguda Grave e das arboviroses em Sergipe

A fim de discutir o cenário da sazonalidade envolvendo a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e a dengue, membros do Grupo de Trabalho Executivo da Secretaria de Estado da Saúde (SES), se reuniram, nessa quinta-feira, 14, a fim de dar seguimento aos debates técnicos acerca da temática.

No encontro, os profissionais discutiram a atualização dos casos, tanto da SRAG quanto das arboviroses em Sergipe. Além disso, abordaram estratégias para o fortalecimento do plano de enfrentamento às síndromes respiratórias, onde debateram medidas preventivas, ampliação de leitos da rede própria e da contratualizada e o manejo clínico através da teleconsulta e tele orientação. 

De acordo com a diretora da Atenção Especializada à Saúde da SES, Marli Francisca Palmeira, o momento serviu para ampliar  as discussões diante do cenário epidemiológico atual, assim como monitoramento das ações planejadas de enfrentamento às síndromes respiratórias agudas graves no período sazonal. “Esse momento foi fundamental para reunirmos as áreas técnicas, debater o cenário e pensar em uma assistência cada vez mais qualificada ao usuário”, disse. 

Enfrentamento da sazonalidade

Foram investidos pelo Governo do Estado aproximadamente R$10 milhões para o enfrentamento da sazonalidade da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) da pediatria e dengue.  As estratégias foram desenvolvidas pelo Grupo Executivo da SES, criado em dezembro de 2023, que tem a participação  dos gestores da rede estadual de saúde e Fundação Estadual de Saúde (Funesa), apoio da Sociedade Sergipana de Pediatria (SBP) e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Sergipe (Cosems).

Sintomas

A Síndrome Respiratória Aguda Grave afeta principalmente crianças. Entre os vírus identificados, há predomínio dos vírus Influenza A e B e do Vírus Sincicial Respiratório (VSR), ocasionando infecções das vias aéreas que atingem diretamente as crianças. É importante que em caso de qualquer sintoma, a população procure uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e se vacine para evitar as síndromes gripais.

Fotos: Valter Sobrinho

Publicado: 15 de março de 2024, 11:13 | Atualizado: 15 de março de 2024, 11:13