Secretaria da Saúde distribuirá mais de 44 mil Cadernetas da Criança

Após quatro anos de interrupção, o Ministério da Saúde lançou a 6ª edição da Caderneta da Criança – Passaporte da Cidadania

A Caderneta da Criança é um documento importante para acompanhar o crescimento e o desenvolvimento infantil, desde o nascimento até os nove anos de idade. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) irá distribuir, para as maternidades e municípios sergipanos, 44.964 exemplares recebidos do Ministério da Saúde (MS), sendo 17.966 para o estado e 26.998 para a capital, Aracaju.

Após quatro anos de interrupção, o Ministério da Saúde lançou a sexta edição da Caderneta da Criança – Passaporte da Cidadania. Segundo o MS, a caderneta é um registro de saúde que inclui o histórico de vacinação, orientações sobre desenvolvimento físico e mental e, além disso, aspectos da educação, direitos garantidos e prevenção a violências são abordados. 

De acordo com o diretor da Atenção Primária à Saúde da SES, Luan Araújo, a caderneta é um material de fácil entendimento para as famílias e cuidadores, que é composta por duas partes: uma direcionada para os profissionais de saúde e a outra  direcionada para os cuidadores da criança.

“As cadernetas da criança, tanto a do menino como a da menina, eram algo que nós já havíamos intensificado nas nossas tratativas com o Ministério da Saúde, tendo em vista a importância dessa caderneta para os profissionais e para os próprios pais ou cuidadores que fazem esse acompanhamento. Dentro dessa perspectiva, a caderneta da criança tem o objetivo de fazer esse monitoramento quanto à vacinação e quanto aos parâmetros antropométricos, o crescimento e o desenvolvimento, para avaliar se estão dentro do padrão de normalidade”, explicou Luan Araújo.  

A nova versão recebeu alguns ajustes, adicionando informações sobre assistência social e educação. “As mudanças que aconteceram nesta nova edição foram a inclusão das vacinas contra a Covid-19 no Calendário Nacional de Vacinação; se a criança é acompanhada ou não pelo projeto ‘Ser Criança’; um gráfico de acompanhamento de crescimento e desenvolvimento das crianças prematuras; e detalharam melhor os resultados de exames de triagem neonatal, que é da orelhinha, do coraçãozinho, do olhinho e da linguinha”, detalhou o diretor da Atenção Primária.

Publicado: 17 de abril de 2024, 14:47 | Atualizado: 17 de abril de 2024, 14:47