Saúde reúne profissionais e gestores da Rede de Atenção às Urgências para discutir sobre temas relacionados ao período de doenças sazonais

O 2º Colegiado da RAU visou discutir temas estratégicos a fim de fornecer uma assistência qualificada aos usuários do SUS, principalmente ao público infantil

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Diretoria de Atenção Especializada à Saúde (Daes), realizou na manhã desta quarta-feira, 5, o 2º Colegiado Estadual da Rede de Atenção às Urgências (RAU) de 2024. Diante do cenário de doenças sazonais, com o aumento dos casos de Síndromes Respiratórias que acometem principalmente as crianças, o 2º Colegiado trouxe como pauta principal a apresentação do protocolo assistencial da bronquiolite e da asma voltado para crianças. 

De acordo com a coordenadora estadual de Atenção Hospitalar e Urgência, Neuzice Lima, o encontro teve como objetivo discutir temas estratégicos em prol de uma assistência cada vez mais qualificada e segura. “Essa discussão é para que os gestores de todas as unidades de saúde possam entender como devem ser conduzidas as crianças com quadros de síndrome respiratória em todos os serviços de urgência, como também tirar dúvida do processo de regulação, para que se consiga garantir o acesso dos pequenos pacientes, em tempo célere e oportuno, de acordo com suas necessidades e complexidades”, explicou Neuzice.

A reunião contou com a participação dos Hospitais Especializados, Regionais, Hospitais de Pequeno Porte (HPP), Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), Urgências 24 horas, Central de Regulação das Urgências-CRU/Samu 192 Sergipe e Sociedade Sergipana de Pediatria. 

Para a chefe de divisão de gestão do cuidado do Hospital Universitário de Lagarto (HUL), Simone Kroll, toda e rede precisa estar alinhada com o protocolo para prestar um atendimento unificado. “Dentro da rede, precisamos ter as padronizações dos processos de trabalho, então é importante estimular essas discussões, principalmente nesta época que é mais conturbada, devido ao grande número de crianças precisando de assistência. Se faz necessário conhecer um protocolo unificado para que a gente tenha continuidade da linha de cuidar da pediatria. O HUL-UFS é porta aberta; estamos recebendo crianças cada vez menores, cada vez mais graves, então para que a gente possa ter uma padronização desse cuidado é essencial adotar o Protocolo Assistencial da Bronquiolite e da Asma elaborado e divulgado pela SES”, considerou.

Fotos: Flávia Pacheco

Publicado: 5 de junho de 2024, 17:04 | Atualizado: 5 de junho de 2024, 17:04