Saúde realiza reunião para a prevenção e combate ao Aedes aegypti

 

Por Herieta Schuster

 

Na manhã desta quinta-feira, 17, aconteceu uma reunião com alguns componentes da Sala Estadual de Situação, na Secretária de Estado da Saúde (SES). Estiveram presentes representantes da Vigilância Epidemiológica Estadual, do Núcleo de Endemias, da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), Secretaria de Estado da Inclusão Social e apoiadores do Ministério da Saúde.

 

Essa sala foi criada com o intuito de fortalecer a intersetorialidade, envolvendo todos os atores no combate ao mosquito Aedes aegypti, devido à emergência em Saúde Pública com a associação do Zika vírus aos casos de Microcefalia em todo território nacional.

 

A coordenadora da Sala Estadual de Situação, Tereza Cristina Maynard, relata que essas reuniões acontecem quinzenalmente com vídeoconferência com a Sala Nacional de Situação, ligada ao Ministério da Saúde, além das reuniões também com os membros da Sala Estadual, para discutir diretrizes a serem tomadas no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya.

 

“Discutimos a mobilização nacional que acontecerá em dezembro debatendo diretrizes para o fortalecimento de medidas de prevenção e eliminação dos focos do mosquito em nosso Estado”, relata a coordenadora.

 

A gerente de Endemias da SES, Sidney Sá, acrescenta que nessa reunião também foram discutidas as diretrizes para o fortalecimento da eliminação de focos não só nas Unidades de Saúde mas, também, em demais locais de trabalho e espaços públicos.

 

“Isso envolvendo todos os setores e não só o setor da saúde, estimulando os Correios, bancos, trabalhadores do SUS e toda a população em um engajamento ativo no combate ao mosquito Aedes aegypti”, esclarece.

 

Informe Epidemiológico 

 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), através do Núcleo Estratégico (Nest), divulgou o novo Informe Epidemiológico nº 50, com dados analisados entre os dias 06 a 11 de novembro. Nesse período, não houve alteração em relação ao boletim anterior sobre o número de casos notificados de Microcefalia.

 

Desde a implantação da notificação compulsória dos casos de Microcefalia foram notificados 269 casos no Estado de Sergipe, com 13 óbitos (destes, seis 06 confirmados, 1 descartado e 6 em investigação).

 

Os casos notificados estão distribuídos em 56 municípios sergipanos, sendo que 57 casos se encontram em processo de investigação, 128 foram confirmados e 84 descartados.

A região de Aracaju aparece com maior número de casos 98 notificações, seguida pelas regiões de Nossa Senhora do Socorro com 43 casos, Estância com 37 e Itabaiana com 28 casos registrados.

 

Em 2016, até o presente momento, foram notificados 7.914 casos prováveis distribuídos em 71 municípios, onde foram confirmados 5.797 casos de Febre do Chikungunya em Sergipe.

 

Já em relação à Dengue foram registrados 3.315 casos prováveis em 70 municípios. Desses casos, foram confirmados 1.763.

 

Ainda de acordo com o ultimo Informe Epidemiológico, 05 municípios lideram com as maiores taxas de incidências de Dengue são eles: Pedra Mole (com 2.750,86), seguido por Nossa Senhora de Lourdes (com 2.479,21), Itabaianinha (1.210,03),Tobias Barreto (942,09) e, por último, Umbaúba (com 497,05).

 

Em relação à situação epidemiológica dos casos de Zika no Estado de Sergipe, no ano de 2016, de acordo com o último informe epidemiológico, registrou-se 315 casos prováveis com 29 confirmados.

 

Publicado: 17 de novembro de 2016, 18:46 | Atualizado: 17 de novembro de 2016, 18:46