Saúde chama atenção para importância do aumento da cobertura vacinal contra a influenza

A vacina contra a Influenza está disponível para os grupos prioritários em todas as Unidades Básicas de Saúde dos municípios sergipanos

Em decorrência da baixa adesão da população à vacina influenza, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reforça a importância do imunizante para evitar complicações de doenças respiratórias. De acordo com dados da Vigilância em Saúde da SES, no período de março de 2024, a cobertura vacinal contra a influenza no estado foi de 26%. O número ainda é muito abaixo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é de 90%.

Por meio da imunização é possível reduzir os riscos de complicações, internações e a mortalidade decorrente das infecções pelo vírus, neste caso, o da Influenza. De acordo com o diretor de Vigilância em Saúde da SES, Marco Aurélio Góes, é fundamental a adesão da população ao imunizante para proteger principalmente os grupos prioritários. “Nesse momento começamos a ter um aumento de casos de doenças respiratórias, então orientamos que a população procure uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para se vacinar, pois é primordial que as pessoas se protejam com a imunização a fim de se evitar o pico de transmissão desses vírus”, salientou o diretor. 

Nesse primeiro momento, a vacina contra a influenza está disponível para os grupos prioritários destinadas a crianças de seis meses a menores de seis anos; crianças indígenas de seis meses a menores de nove anos; trabalhadores da Saúde; gestantes; puérperas; professores dos ensinos básico e superior; povos indígenas; idosos com 60 anos ou mais; pessoas em situação de rua; profissionais das forças de segurança e de salvamento; profissionais das Forças Armadas; pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (independentemente da idade); pessoas com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores do transporte rodoviário coletivo (urbano e de longo curso); trabalhadores portuários; funcionários do sistema de privação de liberdade; população privada de liberdade, além de adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas (entre 12 e 21 anos).

A campanha de vacinação contra a influenza foi antecipada no último mês de março, no entanto, a adesão da população ainda é baixa. Dados da SES apontam que somente 8% das puérperas foram vacinadas; 18% das gestantes e 31% dos povos indígenas foram imunizados.

É importante reforçar que caso haja sintomas gripais, recomenda-se o uso de máscaras e evitar ambientes com aglomeração, assim como o contato com recém-nascidos e idosos. Para os sintomas leves e brandos, a SES orienta procurar uma Unidade Básica de Saúde mais próxima de casa e, caso exista algum grau de complicação, o paciente será encaminhado para uma unidade hospitalar. 

Calendário vacinal

Outras vacinas também estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde dos 75 municípios sergipanos durante todo o ano, de acordo com o calendário vacinal de cada faixa etária. Entre as vacinas à disposição estão a BCG, sarampo, rubéola, tétano, difteria, coqueluche, HPV e muitas outras presentes no Programa de Imunização do Sistema Único de Saúde (SUS).

Fotos: Flávia Pacheco

Publicado: 25 de abril de 2024, 19:38 | Atualizado: 25 de abril de 2024, 19:38