Samu 192 Sergipe realizou mais de 700 atendimentos por meio do Suporte Intermediário de Vida em 2023

O SIV é uma modalidade de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) composta por enfermeiro, técnico de enfermagem e um condutor, com capacidade técnica para realizar procedimentos de maior complexidade 

No ano de 2023, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe), equipamento vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (SES), realizou no total 51.421 atendimentos, sendo o Serviço Intermediário de Vida (SIV) o responsável por 768 dos atendimentos, com uma média de 64 ocorrências ao mês. O SIV é definido como uma modalidade de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) composta por enfermeiro, técnico de enfermagem e um condutor, com capacidade técnica para realizar procedimentos de maior complexidade do que as viaturas de suporte básico de vida, definidas como Unidade de Suporte Básico (USB).

De acordo com dados fornecidos pela Sala de Monitoramento da Rede de Urgência (SMRU), do número total de atendimentos do SIV, 405 foram de origem primária, correspondente a 53%, e 363 secundários (transporte de pacientes), equivalente a 47%. A análise dos atendimentos por tipo mostra que os agravos de origem clínica corresponderam a 420 atendimentos, seguido pelo atendimento às causas externas, com 201 atendimentos, 73 pediátricos, 40 gineco-obstétricos, 16 psiquiátricos e 17 atendimentos de ordem cirúrgica não traumática.

Segundo o superintendente do Samu 192 Sergipe, Dênison Pereira, o atendimento com o SIV foi iniciado em março de 2021, com um projeto piloto e uma única viatura em Aracaju, posteriormente evoluindo para outras regiões do estado, quando na ausência do profissional médico para tripular a Unidade de Suporte Avançado (USA). 

“Sem dúvidas, a implantação do SIV é um marco no APH sergipano. Há muito o que se avançar e caminharemos nessa direção. Algumas medidas já foram definidas, no sentido de qualificar a assistência e aumentar a adesão da equipe, inclusive algumas medidas já foram tomadas a partir de uma maior aproximação da gestão do Samu 192 Sergipe com as equipes que tripulam o SIV, o que possibilitou a apresentação da proposta do SIV no Conselho Estadual de Saúde”, frisou o superintendente.

Ainda no contexto do fortalecimento do SIV, foram elaborados protocolos de acionamento e atendimento, como identificação de morte óbvia, parto consumado, síndrome hemorrágica na gestante, parada cardiorrespiratória (PCR) e ressuscitação cardiopulmonar (RCP). Paralelo ao desenvolvimento dos protocolos, foram realizados treinamentos com as equipes.

O enfermeiro do Samu 192 Sergipe, Marcos Fonseca explicou que desde o início, o SIV vem demonstrando ser uma potente ferramenta no que diz respeito ao atendimento seguro e de qualidade. “Quando avaliamos o desfecho das ocorrências, 84% foram realizadas sem intercorrência, e 5% das ocorrências foram para identificação de morte óbvia ou o paciente já se encontrava em óbito. Esse dado merece destaque quanto ao tipo de paciente que o SIV está transportando, não pode oferecer risco de agravamento do quadro clínico, dando, portanto, segurança à equipe”, disse Marcos.

Fotos: Ascom SES

Publicado: 16 de janeiro de 2024, 15:08 | Atualizado: 16 de janeiro de 2024, 15:08