Programa de Segurança do Paciente fortalece a qualidade da assistência

Por Herieta Schuster

Com o objetivo de contribuir para a qualificação do cuidado em saúde em todos os estabelecimentos de saúde do território nacional, foi instituído o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), pela  Portaria GM/MS nº 529/2013.

 

Segundo a coordenadora Estadual de Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (Ceciras), Nirley Marques de Castro Borges, a segurança do paciente deve estar sempre em primeiro lugar.

 

“Este é um componente essencial da qualidade do cuidado e tem adquirido, em todo o mundo, a importância cada vez maior para os pacientes e suas famílias, para os gestores e profissionais de saúde, no sentido de oferecer uma assistência segura”, relata Nirley Borges.

 

O Ministério da Saúde afirma que os incidentes associados ao cuidado da saúde, em particular os eventos adversos (incidentes com danos ao paciente), representam uma elevada morbidade e mortalidade em todos os sistemas de saúde.

 

Esta problemática levou a Organização Mundial de Saúde (OMS) e diversos organismos internacionais a lançar campanhas, desafios e estratégias voltadas à redução de riscos e de danos no cuidado à saúde. Essas ações têm como objetivo integrar e somar esforços aos cuidados em Redes de Atenção à Saúde.

 

“Esta normativa regulamenta e coloca pontos básicos para a Segurança do Paciente como Núcleos, tornando obrigatória a notificação dos eventos adversos e a elaboração do Plano de Segurança do Paciente”, destaca Antônio de Pádua Pombo, diretor da Vigilância Sanitária Estadual (Divisa).

Publicado: 9 de novembro de 2016, 16:38 | Atualizado: 9 de novembro de 2016, 16:38