Profissionais da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes recebem orientações sobre saúde mental materna

Durante o mês de maio o setor de Psicologia trabalhou com foco na saúde mental materna, em razão da campanha ‘Maio Furta-cor’

Em alusão à campanha ‘Maio Furta-cor’, que visa sensibilizar a população sobre a saúde mental materna, o setor de Psicologia da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) promoveu palestras a fim de orientar os profissionais que atuam na unidade com foco no acolhimento das gestantes e puérperas. 

As psicólogas explanaram sobre os objetivos da campanha e os benefícios para as mulheres assistidas pela maternidade, a fim de sensibilizar cada vez mais os profissionais sobre o tema. “Reconhecer a importância da saúde mental materna é fundamental para melhor acolhê-las, bem como a garantia dos seus direitos”, reforçou Rafaela Atis, psicóloga da Admissão da MNSL. 

Para a nutricionista Carla Menezes, grávida de 34 semanas do primeiro filho, é muito interessante tratar da saúde mental materna. “São muitas mudanças hormonais, no nosso corpo e na nossa cabeça, precisamos de uma rede de apoio porque existem muitas dúvidas. Por isso gostei dessa abordagem, ela é muito necessária não só na gestação como também no puerpério, pois são muitas mudanças”, disse.

A mãe da pequena Beatriz, que nasceu no último dia 22 de maio, Elaine Andrade, do município de Itabaianinha, comentou que é muito importante o cuidado com a saúde mental das mulheres internadas. “Estou aqui há dois meses internada, pois cheguei com 26 semanas de gestação e precisei esperar até 34 semanas para induzir o parto. Então foi um período de muita ansiedade e angústia porque eu fiz tratamento por três anos para ter a minha filhinha e não podia perdê-la de jeito nenhum. O trabalho de todos os profissionais aqui foi muito bom, mas o acompanhamento psicológico foi essencial”, frisou.

Atendimento especializado 

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, equipamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES), oferece um serviço de qualidade para as gestantes de alto risco, bebês e as mães internadas na unidade de alto risco, atuando em várias frentes do cuidado integral como a Atenção Psicossocial. 

Fotos: Ascom SES

Publicado: 28 de maio de 2024, 16:30 | Atualizado: 28 de maio de 2024, 21:02