Pacientes realizam cadastro para o Enxerga Sergipe no município de Itabaiana

O Instituto Oftalmológico de Sergipe (Iose) está responsável por cadastrar pessoas do município de Itabaiana e região

Reduzir a fila de espera por cirurgias de catarata e pterígio na população cadastrada no Sistema Único de Saúde (SUS), esse é o objetivo do Enxerga Sergipe. O programa, uma parceria entre o Governo do Estado e os municípios sergipanos, que prevê mais de 6 mil cirurgias em todo o estado, está colhendo as fichas cadastrais dos pacientes que esperam pelo procedimento cirúrgico.

No município de Itabaiana e regiões próximas, como Carira, Areia Branca, São Domingos entre outras, o Instituto Oftalmológico de Sergipe (Iose) está responsável por cadastrar pessoas que se encaixam no perfil do projeto.

A aposentada Maria José Ferreira Leal, de 67 anos, do município de Carira, espera pela oportunidade há três anos e meio. “Não tenho condições de pagar um procedimento particular, então sempre tive fé que iria chegar a minha vez na fila de espera. Foi nos exames que eu sempre faço de rotina, que a médica me disse sobre a oportunidade do Programa Enxerga. Logo, trouxe toda a documentação necessária e, graças a Deus e ao Governo, vou realizar meu sonho, que é voltar a enxergar direitinho para poder costurar”, comemorou.

A catarata é a perda de transparência da lente natural dos olhos em que a visão fica opaca. Já o pterígio é uma degeneração na membrana transparente do olho denominada de conjuntiva. A areia-branquense Ivanilde Faustino, de 75 anos, descobriu a catarata há cerca de 8 meses. “Eu percebi que não estava enxergando quando comecei a ver estrelinhas na visão, fico com muito medo de sair sozinha. Estou muito feliz com essa iniciativa, prova que a gestão está se preocupando e se importando com a gente que não tem condições”, frisou a dona de casa.

Passos a serem seguidos pelos usuários do SUS

1º passo: O paciente precisa ser diagnosticado com catarata e/ou pterígio por um médico oftalmologista, seja em consulta pública ou privada;

2º passo: Procurar a Secretaria da Saúde da cidade que reside, com um documento oficial de identificação e comprovante de residência, para que seja atendido nos municípios sedes das regiões;

3º passo: As regiões de saúde irão encaminhar as relações unificadas ao prestador que realiza a triagem dos pacientes, por meio de uma consulta, a fim de verificar se as pessoas estão aptas para a realização do procedimento cirúrgico.

Publicado: 30 de junho de 2023, 21:30 | Atualizado: 30 de junho de 2023, 21:31