No Dia Mundial de Combate ao Câncer, Saúde reforça a importância da prevenção e diagnóstico da doença

Sergipe possui uma diversidade de serviços disponíveis para o tratamento oncológico

O diagnóstico de câncer sempre é encarado com muita preocupação, inclusive por ser a segunda enfermidade que mais mata no mundo. Neste sentido, a detecção precoce é essencial para a eficácia do tratamento. Entendendo que saúde é prioridade, o Governo do Estado tem qualificado ainda mais a rede oncológica em Sergipe, buscando possibilitar um tratamento seguro, otimizado e humanizado aos sergipanos.

Diante do diagnóstico, ter acesso a um serviço e equipe comprometida para a recuperação é essencial. Quem sabe bem da importância do apoio e tratamento qualificado, para minimizar a angústia de descobrir um câncer é Antônio Alves, residente de Ribeirópolis. O idoso tocou com alegria o sino do Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse), ato que simboliza a cura dos pacientes oncológicos na unidade de saúde. 

“Quando recebi o diagnóstico, foi um choque. Mostrei os exames e o médico me encaminhou para o Huse. Cheguei aqui e fui bem-acolhido, o médico me explicou todo o tratamento e a equipe foi muito querida. Realizei todo o processo na Oncologia da unidade de forma humanizada e, depois que fiquei curado, tive que vir a cada seis meses. Então, quando bati o sino pela primeira vez, lembro que comentei: ‘Estou em nome de todos os pacientes que aqui passaram’. Não tenho palavras para expressar o acompanhamento daqui. O carinho de todos, um ajudando o outro, sempre com sorriso”, ressaltou.

Quem também recebeu o acompanhamento pela Oncologia do Huse foi Robson Borges, que enfrentou um câncer de estômago. Após passar por tratamento e cirurgia, ele está curado da doença. “Meu atendimento desde o começo do tratamento tem sido ótimo. Fui bem assistido pelos profissionais da unidade, com muito acolhimento e profissionalismo. Estou curado e hoje realizo apenas o acompanhamento para saber a evolução do quadro há dois anos e se está tudo em ordem com a minha saúde”, relatou.

Prevenção contra a doença

Apesar de o câncer não ter uma causa única, a doença pode ser evitada com algumas medidas de prevenção como adotar uma alimentação saudável; prática regular de atividades físicas; realizar exame preventivo de câncer do colo do útero, no caso de mulheres com idade entre 25 e 64 anos; vacinação contra o HPV de meninas e meninos de nove a 14 anos; evitar bebidas alcoólicas; evitar exposição ao sol entre 10 horas e 16 horas; e evitar fumar.

A médica oncologista Ana Clara Lopes, que atua no Huse, aproveita o Dia Mundial de Combate ao Câncer, celebrado nesta segunda-feira, 8, para reforçar a importância da vacinação como medida de prevenção. “Temos uma estimativa no país que, até 2025, são esperados mais de 700 mil novos casos. Então, é uma doença muito relevante no contexto nacional e mundial, e precisamos reforçar algumas medidas preveníveis como a vacinação da Hepatite e HPV, que são capazes de reduzir os índices de câncer colo uterino, câncer de boca, câncer de canal anal e câncer de fígado, que são preveníveis com vacinação”, salientou a médica.

Rede oncológica

Em Sergipe, foram realizadas 27.073 mamografias em 2023, em mulheres com idade entre 50 e 69 anos. Com relação aos exames citológicos do colo uterino, foram 87.061 entre 25 e 64 anos e 17.912 em outras faixas etárias. No Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism), foram 6.333 exames de mamografia, 1.484 USG mamária; 490 de biópsia de mama; 648 de Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF); 207 de magnificação e 868 de histeroscopia. Em se tratando da produção de tratamentos nas Unidades de Alta Complexidade em Oncologia (Unacons) do Huse e Hospital de Cirurgia em 2023, foram 36.013 de quimioterapia, 1.569 cirurgias e 1.152 de radioterapia.

Para fortalecer o Plano de Atenção Oncológica do estado, foi criado um grupo técnico-científico que discute toda a linha de cuidado e funcionamento de fluxo de pacientes com câncer de cavidade oral para os Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) . Em Sergipe, existem três hospitais com serviços de alta complexidade em Oncologia já habilitados: o Hospital de Cirurgia, com o serviço de radioterapia; o Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), com radioterapia, hematologia, oncologia pediátrica; e o Hospital Universitário, habilitado em hematologia para atender a demanda de nossa sociedade. 

A rede estadual ainda possui pontos de atenção com serviços oncológicos, a exemplo do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism), que trabalha na prevenção, diagnóstico e condução do tratamento de mulheres com câncer de mama e de colo de útero; Centro de Acolhimento e Diagnóstico por Imagem (Cadi); Centro Especializado em Reabilitação (CER IV); Unidades Móveis de Saúde da Mulher e do Homem; Centros de Especialidades Odontológicos (CEOs); Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (Case); Ambulatório do Hospital de Cirurgia.

Avanços 

O Governo do Estado de Sergipe avança no tratamento oncológico com o fim da fila de espera para a realização de radioterapia e quimioterapia do Huse.

Além disso, foi realizada a elaboração do Plano de vacinação nas escolas estaduais por meio do Programa Saúde na Escola (PSE) das secretarias de Estado da Saúde (SES) e da Educação e Cultura (Seduc). O PSE tem o objetivo de promover a conscientização dos estudantes com ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, tendo em vista o enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede de ensino.

Entre as ações desenvolvidas está a de imunização contra as doenças imunopreveníveis, como o HPV. Uma de suas consequências é a infecção e o desenvolvimento do câncer de colo de útero, do câncer peniano ou do câncer de orofaringe, sendo importante que meninas e meninos de nove a 14 anos se imunizem contra a doença.

Segundo a referência técnica de Políticas de Doenças Crônicas não Transmissíveis da SES, Lívia Angélica Silva, a Política Nacional para a Prevenção e Controle do Câncer tem o intuito de reduzir a mortalidade e as incapacidades causadas pela doença, a diminuição da incidência de alguns tipos de câncer. “Em Sergipe, a efetivação das ações é realizada pelos três níveis de atenção, seja ela primária, especializada ambulatorial ou hospitalar, a fim de contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos usuários por meio de ações de promoção, prevenção, detecção precoce, tratamento oportuno e cuidados paliativos”, destacou a referência.

Além disso, o Governo irá entregar ainda, neste ano, o Hospital do Câncer de Sergipe, que será uma Unidade de Alta Complexidade no tratamento do câncer, cujo objetivo é o diagnóstico precoce, alta tecnologia no tratamento, acompanhamento e reabilitação dos pacientes portadores de lesões malignas e/ou aqueles que necessitem de intervenções cirúrgicas ou ambulatorial, para a diminuição da morbimortalidade, consolidando e agregando tecnologias em um ambiente exclusivo e específico para o acolhimento e humanização aos pacientes com doenças neoplásicas.

Publicado: 8 de abril de 2024, 17:41 | Atualizado: 8 de abril de 2024, 17:47