MNSL cadastra doulas para acompanhamento do parto no centro cirúrgico

As doulas cadastradas recebem identificação autorizando a entrada na maternidade

O Núcleo de Educação Permanente (NEP) da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) realiza, desde maio de 2023, o cadastramento de doulas para acompanhar os partos no centro cirúrgico da unidade. Ao final do cadastro, elas recebem um crachá autorizando o acesso à maternidade.

De acordo com a enfermeira e responsável técnica pelo NEP, Dígena Dias, apenas as doulas cadastradas e que fazem parte da Associação Sergipana de Doulas (Asdoulas) podem ter acesso ao centro cirúrgico. Até o momento, seis doulas foram cadastradas na MNSL.

“A maternidade criou um procedimento operacional padrão (POP) com o objetivo de padronizar as condutas para o acesso e atuação das doulas na unidade e manter a assistência qualificada e humanizada ao trabalho de parto e ao parto, juntamente com a equipe da MNSL. Isso quer dizer que as doulas devem seguir as regras que a maternidade impõe para um bom desenvolvimento do trabalho de todos”, explicou.

Para a médica e diretora técnica da MNSL, Roseane Porto, o cadastro é importante porque a maternidade garante a segurança da mãe na hora do parto. “Para isso precisamos saber quem está junto com a mãe e a equipe na hora do parto e se essa doula se compromete a seguir as normas”, esclareceu.

Doula

A palavra Doula vem do grego e significa ‘mulher que serve’. Atualmente é utilizada para se referir à mulher que orienta e assiste a nova mãe no parto e nos cuidados com o bebê. O papel da Doula é oferecer conforto, apoio, encorajamento, tranquilidade, suporte emocional, físico e informativo para as gestantes, durante o período de parto.

“Percebo que as mulheres assistidas por doulas são mais informadas, detentoras de conhecimento para assumir o controle de suas escolhas. Quero parabenizar a todos da MNSL pela sensibilidade em acolher as necessidades das parturientes, permitindo que nós façamos parte desse momento tão importante”, afirmou a doula recém-cadastrada na maternidade, Carla Góes.

Ela explicou que são inúmeros os benefícios da doulagem: reduzir em 50% a chance de cesárea sem indicação; reduzir a duração do trabalho de parto e o uso de analgesia, como também as chances de depressão pós-parto, além de outros benefícios como o auxílio para uma amamentação efetiva. “Somos a reafirmação de que as mulheres podem e conseguem parir com dignidade, respeito e muito amor”, concluiu a doula.

Foto: Ascom SES

Publicado: 18 de julho de 2023, 16:16 | Atualizado: 18 de julho de 2023, 16:16