Maternidade Nossa Senhora de Lourdes realizou 260 atendimentos na última semana

 

Por Júnior Matos

 

“O atendimento foi ótimo. A equipe de profissionais é atenciosa e a estrutura é muito boa. Gostei muito da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes”, esse é o depoimento da mamãe Edivânia Cardoso, que deu à luz ao pequeno Victor Gabriel.

 

De 14 a 20 de novembro, a unidade registrou 69 admissões além de 169 avaliações, transferências e/ou liberações para o pré-natal. A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes é referência Estadual para alto risco materno-infantil.

 

“Toda gestante que chega à MNSL passa pelo setor de admissão onde é prontamente avaliada e classificada de acordo com o risco. Quando a paciente é admitida, significa que ela foi avaliada pela equipe multidisciplinar da unidade, classificada como alto risco gestacional ou no parto. Quando é transferida ou encaminhada ao pré-natal é considerada de baixa complexidade”, ressaltou a gerente do setor de admissão da MNSL, Lourivânia Prado.

 

Ainda na semana passada, foram registrados 66 partos, sendo 30 normais e 36 procedimentos cesarianos.

 

Acolhimento

 

Além do atendimento à gestante de alto risco, a MNSL também é referência no estado em atendimentos às vítimas de violência sexual. Durante a semana, foram contabilizados dois atendimentos de criança ou adolescente, sendo uma de Nossa Senhora do Socorro e outra de Tomar do Geru

 

“Todo o trabalho que acontece no ambulatório de atendimento às vítimas de violência sexual é sigiloso. Nos casos de violência aguda, ou seja, até 72 horas após o ato, realizamos a profilaxia para evitar gravidez indesejada e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), além dos exames laboratoriais”, esclarece o superintendente da MNSL, Luís Eduardo Correia.

 

“As vítimas que sofreram abusos em outros momentos podem procurar a MNSL para buscar apoio psicológico e realizar exames e tratamentos relacionados às ISTs. A equipe atende 24 horas por dia”, complementa o gestor.

 

Apoio e Assistência continuada

 

A ‘Lourdinha’ trabalha, ainda, com o método do alojamento conjunto, ou seja, a mãe fica perto do bebê, como estabelece o Ministério da Saúde. Além disso, as pacientes são assistidas por uma equipe multidisciplinar. Outro fator positivo é que a unidade dispõe de serviços de orientações aos acompanhantes dos pacientes internados, a exemplo do Grupo de Apoio ao Visitante e ao Acompanhante (Gava).

 

A MNSL é referência em Sergipe no método ‘Canguru’, uma forma de atenção que incentiva e valoriza a presença e a participação da mãe e da família na unidade neonatal. Tem um papel importante para assegurar a saúde do bebê de baixo peso após a alta hospitalar, tanto pela oportunidade de fortalecimento do vínculo afetivo que oferece, como pelas altas taxas de amamentação que proporciona. O objetivo é estabelecer maior apego, segurança, incentivo ao aleitamento materno e melhor desenvolvimento da criança.

 

A unidade também oferta assistência continuada aos bebês que nasceram de forma prematura, através do ambulatório de Follow Up. Os recém nascidos são assistidos pelo setor a partir do momento que recebem alta e são acompanhados até os dois anos de idade.

 

Publicado: 21 de novembro de 2016, 10:16 | Atualizado: 21 de novembro de 2016, 10:16