Maternidade Nossa Senhora de Lourdes faz teste do pezinho em bebês nascidos na unidade

MNSL já coletou 1.307 amostras para o teste do pezinho em 2024

Em alusão ao Dia Nacional do Teste do Pezinho, celebrado nesta quinta-feira, 6, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), reforça a importância da realização do exame, principalmente nos casos de bebês prematuros. A maternidade já coletou 1.307 amostras para o teste do pezinho em 2024.

De acordo com a diretora técnica da MNSL, a pediatra Roseane Porto, a grande importância do teste do pezinho é a capacidade de diagnosticar várias doenças de forma precoce, para que seja possível ter uma intervenção o mais rápido possível, evitando que a criança tenha alguma sequela.

“A maternidade faz a coleta do teste do pezinho e envia ao Hospital Universitário de Aracaju (HUA), onde há o serviço de triagem neonatal do estado. Lá, as amostras são analisadas e os resultados enviados de volta”, informou a pediatra. 

Todas as crianças, depois das 48 horas de vida e até o quinto dia de nascimento, devem ter o teste do pezinho coletado. “E aquelas crianças prematuras que foram para a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) com alguma comorbidade no período neonatal devem coletar duas amostras. Caso permaneçam internadas, precisam coletar duas amostras com intervalo de 14 dias entre a primeira e a segunda amostra”, explicou Roseane.

O teste do pezinho identifica precocemente as condições genéticas, infecciosas e metabólicas. Doenças como anemia falciforme, hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria, hemoglobinopatias, fibrose cística e deficiência de biotinidase podem ser detectadas.

Para Aline Silva Nascimento, avó do pequeno João Rafael, com 18 dias de nascido, é muito importante fazer todos os exames, principalmente o do pezinho. “Como o bebê nasceu antes do tempo e ficou seis dias na Utin, é bom fazer os exames para saber se ele tem alguma doença. O teste do pezinho já foi realizado duas vezes nele. Espero que dê tudo certo”, contou dona Aline.

Fotos: Ascom SES

Publicado: 6 de junho de 2024, 15:35 | Atualizado: 6 de junho de 2024, 16:04