Lacen realizou mais de 300 mil exames laboratoriais em 2023

O trabalho conta com moderno parque tecnológico e equipamentos de ponta para o processamento de análises

Referência em testes de média e alta complexidade para os 75 municípios sergipanos, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), gerido pela Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH), realizou 329.474 análises para agravos em saúde pública durante o ano de 2023. O número contempla análises para mais de 120 patologias e agravos nas áreas de biologia médica, animal e ambiental.

A instituição é responsável por testes relacionados às Doenças de Notificação Compulsória (DNC), que incluem casos que precisam de monitoramento constante, como o diagnóstico dos vírus da dengue, zika, chikungunya, covid-19, esquistossomose, meningite, tuberculose, febre amarela e demais análises de interesse para vigilância em saúde.

De acordo com o superintendente do Laboratório Central, Cliomar Alves dos Santos, a unidade presta um serviço essencial para o estado. “O Lacen é referência para as testagens de amostras encaminhadas por todos os municípios de Sergipe, e esse trabalho colabora para elucidação de patologias mais complexas e de investigação em saúde pública”, destaca.

Referência

A unidade laboratorial também realiza exames para investigação das hepatites virais, marcadores tumorais, Programa de Proteção às Gestantes (Protege), análises microbiológicas, entomológicas, produção de insumos estratégicos e monitoramento da rede de laboratórios de saúde pública e particular.

Esses serviços laboratoriais visam ainda atender a população com qualidade e confiabilidade no âmbito da Vigilância Epidemiológica, Sanitária e Ambiental. “Temos a expertise e profissionais que estão sempre passando por capacitações do Ministério da Saúde e órgãos certificados”, confirma o gestor do Lacen.

Monitoramento

Na área de epidemiologia e controle de doenças, o órgão atua no diagnóstico e monitoramento dos agravos de interesse em saúde pública como, por exemplo, os exames para detecção de dengue, que no final de 2023 registraram um aumento de 55% .

Para o diagnóstico da dengue, chikungunya e zika vírus, são realizados exames de biologia molecular (PCR) e sorologia (Elisa), feitos por kits IgM e IgG. Os resultados são liberados em tempo oportuno, dando prioridade para pacientes graves, internações e óbitos.

Com essas análises é possível, por meio do sorotipo, detectar o tipo do vírus  em circulação e contribuir com as ações de vigilância epidemiológica, aumentando o controle e bloqueio na circulação do vírus no estado.

Serviços

Para ter acesso ao serviço, o paciente deverá procurar o serviço médico ambulatorial oferecido nos postos de saúde dos seus municípios de origem, responsáveis pela coleta de amostras que são enviadas para o Lacen, em Aracaju. A unidade  funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h. Mais informações através dos telefones: (79) 3234-6002, 6007 e 6004.

Publicado: 12 de janeiro de 2024, 16:18 | Atualizado: 12 de janeiro de 2024, 16:18