Huse: ações de humanização fortalecem assistência ao usuário do SUS

Por Júnior Matos
Ofertar o devido acolhimento aos pacientes, visitantes e acompanhantes. Essa é mais uma meta do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse). A unidade tem investido cada vez mais em ações assistenciais trabalhando dentro das diretrizes do programa Humaniza/SUS do Ministério da Saúde (MS), atendendo aos critérios da Política da Nacional de Humanização (PNH).
De acordo com o coordenador de Humanização do Huse, Elder Magno, as ações têm início desde a chegada do paciente, visitante ou acompanhante ao maior e mais importante hospital público do Estado, referência no atendimento de casos de média e alta complexidades e trauma.
“O cuidado começa na porta de entrada. Os nossos porteiros e recepcionistas são submetidos a capacitações constantes para promover o melhor acolhimento a quem chega ao hospital”, explicou.
Sala de Espera Integrada
O projeto Sala de Espera Integrada acontece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Huse garante o acolhimento aos visitantes dos pacientes internados na unidade. O Núcleo de Apoio Técnico (NAT/Humanização) é o responsável pela iniciativa e atua na orientação, auxílio e promoção de atividades como técnicas de alongamento, palestras, relaxamento, meditação e acolhimento.
Existente desde o ano de 2011, a ação do Serviço de Humanização da unidade (que atua na orientação, auxílio e na promoção de informações inerentes ao setor para os acompanhantes) e obedece ao que preconiza a Política Nacional de Humanização do SUS (PNH/SUS).
“Diariamente, quase 40 pessoas visitam os amigos e familiares internados nas UTIs do Huse em horários divididos (às 11h30 e às 16h30). O nosso trabalho consiste em prestar esclarecimentos sobre as normas e condutas do setor, dicas de higiene e cuidados com o vestuário. Uma exigência é a lavagem correta das mãos na entrada e na saída da UTI, que é um processo ensinado durante a reunião”, pontua o coordenador do setor de Humanização do Huse, Elder Magno.
Diego Patrício Silva acompanha o irmão que foi para a UTI após sofrer um acidente de carro. Ele relata que através do projeto Sala de Espera Integrada tem encontrado forças e é bem acolhido. “Através do projeto tive outra visão da UTI, que é o setor especial para a recuperação do meu irmão. Os profissionais sempre reforçam a importância de me sentir forte para apoiá-lo e isso me enche de esperança”, conta.
 
Segurança e voluntariado
O Huse também investe no bem estar dos profissionais que atuam na unidade. “São aulas de ginástica laboral, cursos e capacitações constantes de normas e rotinas de cada setor. Tudo isso fortalece e garante o bom andamento das ações desenvolvidas no Huse. É um trabalho motivacional de grandes resultados”, declarou Elder Magno.
Outro ponto forte do Huse é o voluntariado. “Ao todo, temos 100 pessoas desenvolvendo ações voluntárias no nosso hospital em diferentes aspectos, seja na distribuição de roupas, comidas e utensílios para visitantes e acompanhantes, como nos grupos de apoio. Eles são muito importantes porque auxiliam na humanização do serviço e agregam mais valor ao Huse”, ressalta o coordenador.
Cristina Santos é voluntária no Huse. Mensalmente ela leva cestas básicas aos pacientes de baixa renda que estão internados na unidade hospitalar. “Fazer o bem é fundamental para nossa vida. É um trabalho que me proporciona muita satisfação. Fico feliz em poder ofertar alegria aos que precisam”, revelou.

Publicado: 18 de outubro de 2016, 18:44 | Atualizado: 18 de outubro de 2016, 18:44