Grupo Prosarte e de Pais animam semana da criança na pediatria do Huse

O Grupo Prosarte de Contadores de Histórias, levou alegria, mágicas e historinhas às crianças que estão internadas ou em tratamento no Hospital Pediátrico Drº José Machado de Souza, localizado no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), gerenciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). O evento foi em homenagem à semana da criança e teve o objetivo de despertar o lúdico e bem estar dos pequenos pacientes.

De acordo com o gerente de humanização do Huse, Elder Magno, ações dessa magnitude são fundamentais para o tratamento das crianças. “Cuidar não é só medicar, fazer exame e diagnóstico. É promover momentos que a criança se sinta acolhida, protegida, segura. Nenhum instrumento é mais valioso que o lúdico para promover acolhimento. A participação familiar também faz a diferença”, concluiu.

Atuando há quase 14 anos de forma voluntária no hospital, o grupo incentiva as crianças para a educação, cultura e boa leitura. Além do hospital pediátrico, o Prosarte também leva alegria para os pacientes do Centro de Oncologia do hospital. De acordo com o coordenador do grupo, Antenor Aguiar, é uma satisfação levar alegria em momentos de tristeza.

A gente sempre traz festividade através das músicas, das mágicas, da contação de histórias, de livros. Vamos fazer com que eles se sintam encantados e aproveitem o dia deles com muita alegria, fazer com que eles saiam do mundo da tristeza e entrem no mundo da fantasia dos livros. A gente encontra crianças triste, depressivo, choroso e quando a gente chega e começa a nossa atividade eles mudam completamente, se transformam.

Adriana Alencar e Tânia Góis também são integrantes do grupo e vieram colaborar com mais alegria. Durante as apresentações do Prosarte, os pais e acompanhantes dos pequenos pacientes também acabam interagindo e se divertindo.

Foi o que aconteceu com a recepcionista Dayane Teixeira, 23, ela está acompanhando a filha de 4 anos, internada há cinco dias. Ela disse que é uma distração para as crianças que ficam naquela espera da alta médica, como para os pais que também ficam ansiosos.

Minha filha ficou encantada, a gente acaba se envolvendo e dando muita risada com a alegria deles. Sem falar que o local fica mais animado e o tempo passa mais depressa”, disse.

Grupo de Pais

O Grupo de Pais também apresentou um trabalho importante voltado para os pais dos pequenos pacientes que estavam internados na enfermaria Carinho da Unidade Pediátrica. Psicólogos que atuam no hospital e estagiários de psicologia integram o grupo que tem o objetivo de estimular a participação dos pais durante o tratamento e internação dos filhos.

Essa é uma forma de incluir especialmente os pais na rotina hospitalar e sua participação em relação ao tratamento esclarecendo dúvidas, além da escuta dos familiares que também sofrem um internamento estressor.

O Grupo de Pais atua na Oncologia Pediátrica e na Pediatria do Huse. O resultado do trabalho é que as mães se sentem reconhecidas e valorizadas não só como mães, pois elas têm um sentimento de culpa e no grupo elas se sentem olhadas como mulheres, além de se sentirem acolhidas e com autonomia para participarem do tratamento dos filhos.

De acordo com o gerente de humanização do Huse, Elder Magno, ações dessa magnitude são fundamentais para o tratamento das crianças. “Cuidar não é só medicar, fazer exame e diagnóstico. É promover momentos que a criança se sinta acolhida, protegida, segura. Nenhum instrumento é mais valioso que o lúdico para promover acolhimento. A participação familiar também faz a diferença”, concluiu.

Publicado: 11 de outubro de 2018, 15:00 | Atualizado: 11 de outubro de 2018, 15:00