Funesa e Ipesaúde capacitam profissionais para acolhimento ao usuário

A qualificação tem como objetivo a humanização do atendimento inicial aos beneficiários

A Fundação Estadual de Saúde (Funesa), por meio da Escola de Saúde Pública (ESP/SE), em parceria com o Instituto de Promoção e Assistência à Saúde de Servidores Públicos de Sergipe (Ipesaúde), deu início na última segunda-feira, 19, ao curso ‘Acolhimento e Humanização nas Práticas em Saúde’. O evento tem por objetivo qualificar os profissionais que atuam na linha de frente do acolhimento aos beneficiários do Ipesaúde. A capacitação segue até o próximo dia 1º de março.

A coordenadora do Centro de Endocrinologia e Diabetes do Ipes Saúde, Kelly Ribeiro, explicou que a capacitação aborda a importância do acolhimento e da prática da humanização em saúde no dia a dia, para qualificar todos os profissionais que estão na linha de frente do acolhimento ao beneficiário do plano. “Quem participa neste curso conosco, são os profissionais que atuam junto aos beneficiários, entre eles, o call center, recepção e administrativo. É um treinamento que prossegue até o início de março”, informou Kelly.

Os profissionais que participam da capacitação são da capital e interior do estado, que atuam nos centros odontológicos, centro de especialidades, que trabalham na sede do Ipes, centro de diabetes, entre outros. “Melhorar e qualificar o atendimento, para ter um bom retorno por parte da população é o que pretendemos. Visamos um acolhimento mais humanizado para esses beneficiários que chegam ao Ipes. Cuidar dos profissionais para que eles possam estar melhor na ponta, é o nosso foco principal”, pontuou.

Para a diretora de Promoção à Saúde do Ipesaúde, Priscila Mitidieri, o evento é  de grande importância por ser de capacitação e atendimento em saúde, com o pensamento no acolhimento do beneficiário. “O nosso grande interesse é gerar humanização e qualidade para os usuários. Nosso curso de capacitação é voltado para os profissionais que lidam diretamente com o público, para que possam melhor atender e gerar um retorno positivo para a sociedade. Pretendemos ao longo do ano, fortalecer essa relação com a Funesa”, afirmou a diretora. 

De acordo com o docente e membro da Coordenação de Educação Profissional  da Funesa, Alessandro Soledade, o curso é de característica humanitária, voltado para as práticas de saúde, com o conceito de acolhimento. Segundo ele, o foco é o fortalecimento no atendimento direto ao usuário. “Nossa perspectiva é o acolhimento humanizado. Os dois elementos podem melhorar, de fato,o relacionamento com os assistidos pelo Ipesaúde. Estão aqui os agentes administrativos dos municípios. São 20h de curso. A cada dia uma turma diferente participa”, explicou Alessandro. 

Retorno

O oficial administrativo do Ipesaúde, Fábio Sobral, atende no Centro de Reabilitação e explica que os pacientes chegam para marcar a fisioterapia e precisam de muita atenção. Um curso dessa natureza, melhora a função de atendimento e mostra como acolher melhor e faz compreender o quanto é preciso atender de forma humanizada o paciente. Esse treinamento nos dá uma visão mais ampla, sobre como recepcionar e encaminhar o paciente para o tratamento”, ressaltou. 

Para a supervisora do setor administrativo do Ipesaúde, Maria Letícia Ferreira, o evento é importante porque a cada dia é momento de aprender a conviver  entre os funcionários e com o usuário. “Temos o dever de mostrar aos beneficiários  que eles não estão sozinhos e contam com nosso acolhimento. É importante saber solucionar o problema do usuário e ajudá-lo”, concluiu.

Fotos: Ascom SES

Publicado: 20 de fevereiro de 2024, 10:57 | Atualizado: 20 de fevereiro de 2024, 10:58