Enxerga Sergipe ultrapassa 1.560 cirurgias e recupera qualidade de vida dos pacientes

Programa do Governo do Estado busca reduzir a fila dos pacientes em espera por procedimentos de catarata e pterígio, com investimento superior a R$ 4,6 milhões

Para quem tem dificuldade de ver ao redor, atividades simples do cotidiano podem se tornar um grande obstáculo. É com o intuito de ampliar a qualidade de vida de quem sofre com problemas de visão que o Governo do Estado criou o ‘Enxerga Sergipe’. Lançado no início do mês de julho, o programa tem como meta a realização de mais de seis mil cirurgias de catarata e pterígio em todo o estado. Para quem já passou pelo procedimento, ou está prestes a realizá-lo, a iniciativa representa esperança e mais facilidade para viver o dia a dia.

A trabalhadora doméstica Maria José Calista dos Santos, de 54 anos, é uma entre as pacientes que poderá recuperar não só a visão, mas também as oportunidades que a doença lhe tirou. Vinda de Arauá, no sul do estado, ela realizou sua cirurgia de catarata no Instituto Oftalmológico de Sergipe (Iose), em Aracaju. Assim como Maria José, outros sergipanos vêm sendo beneficiados pelo Governo de Sergipe com ações voltadas à Saúde e outras áreas estratégicas. O conjunto de iniciativas demonstra o compromisso com o desenvolvimento econômico e social do estado, marcando um novo momento da gestão pública.

“Venho tendo dificuldades de ler e escrever. Enxergando bem, tudo vai ficar mais fácil. Quero ir à praia, tomar uma cervejinha, não ficar dependendo de óculos para tudo. Com a cirurgia, tudo vai mudar. O programa é uma iniciativa que é boa não só pra mim, mas para todos. Tem muita gente que tem a oportunidade de fazer essa cirurgia agora, que o governo liberou, e antes não tinha”, resume Maria José.

Quem compartilha do sentimento é o trabalhador do campo José Francisco dos Santos, 51, também de Arauá. “É um programa muito bom, que dá oportunidade pra gente enxergar melhor”, opina. Para José, uma das maiores surpresas do programa foi a celeridade. “Só enxergo com um olho. Tive uma emergência, adoeci e fiquei quase cego. Não consigo mais andar de moto e nem trabalhar. Mas consegui ser atendido em um mês, foi bem rápido. O atendimento foi ótimo, todos me trataram muito bem. Vai ser vida nova. Agradeço muito ao Governo de Sergipe e à prefeitura”, afirma.

Delmira Gomes Nascimento da Costa, de 68 anos, é trabalhadora doméstica e natural de Boquim, no sul sergipano. Seu processo de atendimento durou menos de dois meses. Para ela, que chegou ansiosa ao Iose, a viagem de volta foi tranquila e otimista. “Foi tudo bem no atendimento, desde a primeira consulta. Agora que fiz a cirurgia, quero passear bastante, trabalhar na roça, cuidar das minhas plantas… Tudo vai mudar, com fé em Deus”, antevê.

O autônomo Olival Prata Gomes, de Estância, na região do sul do estado, tem 65 anos e também compareceu ao Iose a fim de realizar sua cirurgia. Para ele, que conseguiu passar pelo processo em menos de um mês, o procedimento superou as expectativas. “Fiz uma consulta achando que era só pra mudar o grau dos óculos e acabei descobrindo a catarata. Fui ao Iose, em Estância, e de lá fui encaminhado. Foi tudo bem na cirurgia, graças a Deus. E não doeu, foi tranquilo. Quem tiver medo, pode perder, porque é ótimo. O pessoal atende muito bem. Agora, finalmente, vou poder dirigir e fazer minhas coisas com tranquilidade”, comemora.

Equipe

Responsável pelas cirurgias de Maria José, José Francisco, Delmira e Olival, o oftalmologista e cirurgião Moacyr Freitas ressalta a preparação dos profissionais que constroem o Enxerga Sergipe. “É uma cirurgia rápida, feita com alta tecnologia e com uma equipe experiente, para trazer ótimos resultados. Assim, a gente consegue fazer por volta de cem cirurgias por dia, com praticamente zero intercorrências. Tenho visto a transformação da vida dos pacientes. São pessoas que tiveram dificuldade de acesso à cirurgia eletiva, e que, às vezes, aguardam muito tempo na fila de espera. Realizar um procedimento rápido, que recupera a visão e melhora a vida do paciente e de toda a sua família, é uma grande alegria”, frisa.

De acordo com a superintendente do Iose, Fernanda Oliveira, cerca de 50 profissionais participam dos mutirões do programa a cada dia. “Toda essa quantidade de pessoas se dedica para que ocorra um dia como o de hoje, com cem pacientes operados. E há todo um trabalho por trás, até acontecer a cirurgia. Antes, os pacientes vão para a triagem, realizam consultas, exames… E depois que estão aptos, o procedimento é liberado. É muito gratificante poder ajudar tantas pessoas e vê-las realizando o sonho de ter sua visão de volta”, diz.

Passo a passo

O Enxerga Sergipe é uma parceria entre o Governo do Estado e os municípios sergipanos, que busca reduzir a fila dos pacientes cadastrados no Sistema Único de Saúde (SUS) em espera por procedimentos de catarata e pterígio. O programa conta com o maior investimento da história para esse tipo de cirurgia, com recursos de R$ 4.685.576,96. Atualmente, o Iose é o prestador responsável pela execução do serviço. 

O programa tem como sedes as regiões de saúde de Nossa Senhora do Socorro, Estância, Itabaiana, Propriá e Lagarto. São esses municípios que centralizam as demandas dos pacientes residentes nas demais unidades do território sergipano. 

Para ser atendido pelo Enxerga Sergipe, é necessário que o usuário do SUS seja diagnosticado com catarata e/ou pterígio por um oftalmologista. Em seguida, o usuário deve procurar a secretaria de saúde da cidade onde mora para que seja direcionado a um dos municípios sede. Nesta etapa, é necessário levar comprovante de residência e documento oficial de identificação.

Depois de compilar a lista de pacientes, as regiões de saúde encaminham as relações unificadas ao prestador de saúde responsável pela triagem através de consulta. Assim, é feita a verificação de aptidão do paciente para que seja submetido ao procedimento cirúrgico.

Procedimentos realizados

Nos dias 21 e 22 de julho, foi realizada uma leva de procedimentos correspondente à região de Propriá, com pacientes de 16 municípios. Duzentos pacientes foram encaminhados para realização das cirurgias de catarata, com 90% de comparecimento – o equivalente a 180 pessoas.

Nos dias 10 a 12 de agosto, foi a vez da região de Itabaiana. Vinte e três municípios foram encaminhados, com 600 procedimentos de catarata autorizados. Destes, 463 pacientes compareceram, o que equivale a 77%.  

Em 31 de agosto, 1º e 2 de setembro, a região de Lagarto foi contemplada, com seis municípios abrangidos. Foram 350 cirurgias autorizadas e 340 concluídas, perfazendo um total de 97% de comparecimento. 

Entre 20 e 23 de setembro, foram realizados os procedimentos da região de Estância. Para as 681 cirurgias de catarata autorizadas, 579 pacientes compareceram, que equivale a 85% do total. Dez municípios foram contemplados. Até o momento, 1.831 procedimentos foram autorizados, com um comparecimento de 85% – ou 1.562 pacientes. 

Fotos: Igor Matias | Secom

Publicado: 26 de setembro de 2023, 12:06 | Atualizado: 27 de setembro de 2023, 11:57