Dia Nacional: SES destaca ações voltadas às pessoas com deficiência

Nesta sexta-feira, 21 de setembro, quando o país celebra o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) destaca os avanços empreendidos pelo Governo do Estado na assistência à saúde das pessoas com deficiência, que se materializam através da condução da política voltada a esse público e da execução de serviços, como a construção do Centro Especializado de Reabilitação (CER) IV, o tratamento odontológico sob anestesia e a dispensação de medicamentos, órteses e próteses.

As cirurgias odontológicas sob anestesia representam um grande passo dado na direção da promoção da saúde bucal das pessoas com deficiência. Realizadas no Hospital de Itabaiana, sob o comando do cirurgião-dentista Tadeu Roriz, foram implantadas em meados do segundo semestre de 2017 para dar vazão a uma fila de 40 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), que aguardavam pelo procedimento realizado unicamente, até então, no Hospital Universitário. Era um atendimento por semana.

Nos últimos 12 meses, 100 pacientes foram tratados de acordo com informações do cirurgião-dentista, acrescentando que é feita uma média de 10 destes procedimentos todos os meses. A fila foi zerada e novos pacientes foram incluídos no serviço, aguardando apenas um tempo de 15 dias entre o agendamento e a realização do tratamento. Segundo Roriz, durante a intervenção é feito todo o tratamento que o paciente necessita, que vai de extração, a canal, limpeza, selagem e restaurações.

As pessoas com deficiência encontram no Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (Case) o suporte físico de que precisam para obter qualidade de vida. A unidade, gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde, dispensa órteses, próteses e meios auxiliar de locomoção, que ajudam na mobilidade. Somente neste ano, o Case entregou 1.879 OPMs, com destaque para cadeiras de rodas e cadeiras de banho, que foram 649 e 619, respectivamente, segundo informou a gerente do setor, Diana Assis de Carvalho Guerra.

Ela informou que a qualidade das próteses, órteses e meios de auxílio de locomoção obedecem ao padrão estabelecido pelo Ministério da Saúde, mas são de boa qualidade. Em média, o paciente aguarda cerca de um mês por cadeira de roda ou de banho, e três meses por uma órtese ou prótese. Ela salientou que o Case dispensa também bengalas e andador.

O cuidado com a pessoa que tem deficiência é enfatizado, também, pela coordenadora da Rede de Atenção à Pessoa com Deficiência, Aline Exaltação Franca Oliveira. “No campo da saúde a gente tem os espaços especializados para a reabilitação e uma política exclusiva para a pessoa com deficiência, que contempla suas necessidades e garante os seus direitos. São avanços consideráveis, fruto da luta das associações que congregam essas pessoas”, realçou a coordenadora.

Publicado: 21 de setembro de 2018, 16:03 | Atualizado: 21 de setembro de 2018, 16:03