Dia D contra a poliomielite mobiliza sergipanos para ampliar cobertura vacinal

A Campanha Nacional de Vacinação contra a doença segue até o dia 14 de junho

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) mobilizou os 75 municípios sergipanos para o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite, que foi realizado neste sábado, 8. O intuito foi ampliar a cobertura vacinal da poliomielite que, em Sergipe, é de 83,94%, número abaixo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, que é de 95%. A Campanha contra a poliomielite foi iniciada em 27 de maio e segue até o dia 14 de junho. 

Os pais ou responsáveis pelas crianças entre 1 e menores de 5 anos que ainda não foram vacinadas, podem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e atualizar a caderneta vacinal no município que reside. Para o secretário de Estado da Saúde, Walter Pinheiro, o incentivo do Dia D, na capital e interior do estado, serve para intensificar as formas de prevenção.

“O Dia D é importante porque unimos forças com toda a sociedade, gestores e usuários, trazendo como foco o tema da vacinação e das coberturas vacinais. A importância de promovermos ações como essa é para evitar o tensionamento no serviço de urgência por agravamento de condições que são preveníveis”, concluiu o secretário. 

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença que pode provocar consequências graves, como a paralisia completa dos membros. “A campanha deste ano é muito importante para o enfrentamento à poliomielite, pois o país está em fase de transição para substituir as duas doses da vacina oral poliomielite (VOP) para apenas um reforço com a vacina inativada poliomielite (VIP). Ou seja, o esquema vacinal e a dose de reforço serão feitos exclusivamente com a VIP, a partir do segundo semestre de 2024”, explicou a gerente interina do Programa de Imunização Estadual, Illani Paulina.

Mãe de duas meninas, Vívian Farias Barros levou a filha Vitória, de 3 anos, para completar o esquema contra a poliomielite. “Meu marido ficou sabendo da campanha pelas redes sociais da SES, como Vitória só faltava uma dose para completar, eu a trouxe hoje. A minha filha mais velha, Valentina, também está com o esquema completo. A importância da vacinação é para que nós, como pais, fiquemos tranquilos a respeito da saúde dos nossos pequenos”, concluiu Vívian. 

A auxiliar de escritório Cíntya Barbosa também levou a filha Heloísa, de 3 anos, para se vacinar. “Ela já saiu de casa sabendo que tomaria uma gotinha para ficar mais forte. Eu mantenho sempre a caderneta atualizada com todas as vacinas, isso me deixa mais tranquila”, disse.

Poliomielite

A vacinação é a única forma de prevenção contra a Poliomielite. Todas as crianças menores de 5 anos de idade devem ser vacinadas conforme esquema de vacinação de rotina e na campanha nacional anual. 

As principais sequelas da doença são: problemas e dores nas articulações, crescimento diferente das pernas, osteoporose, paralisia de uma das pernas, paralisia dos músculos da fala e da deglutição, dificuldade de falar e atrofia muscular.

Fotos: Flávia Pacheco

Publicado: 8 de junho de 2024, 14:07 | Atualizado: 8 de junho de 2024, 14:07