Associação de Doulas visita MNSL e ministra palestra para voluntárias

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, se preocupa, antes de tudo, com o bem-estar de seus pacientes e as Doulas que atuam na unidade de saúde fazem parte de um dos mais belos projetos da maternidade. Essas mulheres, muitas voluntárias, são ajudam na amamentação. Para aperfeiçoar o trabalho a MNSL recebeu nesta terça-feira, 16, a visita da Associação de Doulas de Sergipe que esclareceu a importância e diferença do voluntariado para a formação profissional.

 

“A diferença do voluntariado para a formação profissional, e os caminhos de formação profissional para quem deseje trabalhar nesse campo devem ser compreendidos”,  informou  a psicóloga e  co-orientadora do projeto Doulas da amamentação da MNSL, Silvia Anjos.

 

Ela explicou que o treinamento realizado na MNSL das Doulas da amamentação tem como foco o voluntariado e não a formação profissional que exige aprofundamentos na assistência a gestante de baixo risco. “Essa roda de conversa realizada hoje foi muito proveitosa, conseguimos falar da importância de fazer formação, de estar se atualizando, buscando novas informações e valorizar esse espaço que é uma maternidade de referência, com esse projeto que é único no país’, comentou a Doula Thamires Lima.

 

Joseane Bezerra, que faz parte da Associação “ As Doulas”, disse que o objetivo da visita foi orientar as Doulas que fazem a formação na MNSL, sobre a necessidade de se realizar, também o trabalho de Doula fora da unidade. ‘“Falamos   nesta terça, da importância da Doula e do movimento, como está se expandindo, das necessidades das maternidades abrirem as portas para as Doulas e que elas sigam as condutas certas”, disse Joseane Bezerra, Doula desde 2016 e voluntária  na MNSL.

 

“Falamos sobre o histórico do movimento em Aracaju, apresentamos enquanto associação, vamos compartilhar o estatuto que construímos, que consta todos os eixos, que são importante tanto de estar atenta e consciente  do papel da Doula,  no atendimento a gestação, parto e pós parto  e essa Doula, inserida num contexto de uma equipe com vários profissionais diferentes (médico, enfermeiros, obstetra) e respeitar  essas diversas atuações e como se deve atuar no preparo, no parto e pós o parto’’ , orientou  a Doula,  Maria Priscila Rezende Santana,

 

Gratidão

 

“Essa conversa hoje foi muito proveitosa, conseguimos  através de uma roda falar sobre a importância de fazer formação, de estar se atualizando, buscando novas informações e valorizar  esse espaço  que é uma maternidade de referência com esse projeto que é único no país’, comentou a Doula Thamires Lima. A Associação “ As Doulas”,  abrange as Doulas que possuem no mínimo 50 horas de formação,  “Estamos trabalhando no eixo de disseminar informação com rodas de conversas, ao mesmo tempo que vamos  evoluindo nas questões mais práticas de formalizar a associação, relatou  a Doula Thamyres Lima Santos.

 

Ela disse ainda que é preciso agradecer esse espaço,  e que  é  importante convidar todas as Doulas, as  voluntarias que atuam no SUS e as Doulas pré parto  e pós parto para ter esse diálogo. “A intenção é fortalecer o interesse e o trabalho da Doula’, disse Thamyres.

Publicado: 17 de outubro de 2018, 15:18 | Atualizado: 17 de outubro de 2018, 15:18