Crianças soropositivas são contempladas com ação solidária da SES

13 de junho de 2018

Uma parceria de sucesso fez brotar no rosto de 40 crianças soropositivas, sorrisos largos. O motivo foi participar de uma grande festa com acolhimento, socialização e muita diversão. Esta quarta-feira 13, contemplou a garotada e suas mães com uma ação solidária, realizada no Clube Banese, por meio de parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES), através do Programa IST/AIDS, com o Colégio Master.

Além de brincadeiras, todas as crianças receberam kits de higiene pessoal e suas mães foram contempladas com cestas básicas, fruto da campanha feita pelos professores e estudantes do 3º ano do ensino médio da unidade escolar.

Segundo o gerente do Programa IST/Aids, Almir Santana, Sergipe possui 140 casos de crianças com HIV, sendo que destes 50 faleceram. Há 7.400 adultos com o vírus da Aids e destes, 1.400 chegaram ao óbito.

Durante o evento, o médico explicou que as crianças que nasceram com HIV foram por falha no pré-natal. Ele mostrou preocupação com o registro dos casos, já que crianças soropositivas e os números da doença não param de crescer. Almir disse, ainda, que as crianças que nascem soropositivas devem fazer tratamento com medicamentos antirretrovirais.

“Quero pedir sempre o apoio da sociedade, já que essas crianças precisam cada vez mais de atenção”, clamou o médico Almir Santana. Para a voluntaria Evelyn da Costa Fonseca Oliveira, é uma oportunidade ímpar poder aprender e  conviver com as criança, estar com elas neste momento. “É uma satisfação imensa”.

Cuidados

A aluna Julia Medeiros Menezes disse que desenvolveu a atividade lúdica de pintura nos rostos das crianças, “As cores chamam a atenção delas, que estão felizes”, disse Júlia. O professor de Educação Física, Jose Roberto Oliveira Santos, observou que participa pela primeira vez do momento solidário, com grande expectativa.

“Estou muito feliz, preparei jogos, atividades aeróbicas e atividades lúdicas.  É muito importante praticar solidariedade. É fundamental que as pessoas comecem a se amar mais e cuidar do próximo. A mensagem para esse evento é que se protejam, porque assim conseguimos ajudar o semelhante”, finalizou José Roberto.

“Esse dia é especial. Há lazer, diversão e alegria nesse evento”, disse V.C.,64 anos, soropositivo, que há 23 anos acompanha as pessoas de Itabaiana e adjacências. Ela se contaminou através do esposo que era caminhoneiro e era soro positivo. “Me tratei, ajudo ao próximo e digo a todos que proteção e prevenção sempre é a melhor escolha. Seja fiel a você mesma”, alertou V.C.

Foi no pré-natal que J.F., descobriu que era soropositivo. Ela disse que hoje se previne e que a filha que já tem 6 anos e não é soropositivo, em virtude dos cuidados no pré-natal

“Esse dia é feliz por vários motivos. Além de proporcionarmos lazer às crianças, essa ação representa também a inclusão social porque, apesar dos avanços, ainda há preconceito em relação aos soropositivos e aos portadores do vírus HIV, e expostas, aquelas que são filhas de mães soropositivas, porém, não foram infectadas em virtude dos cuidados mantidos no pré-natal, declara Almir Santana.

 

Fotos: Flávia Pacheco/SES

 




Secretaria de Estado da Saúde
Praça General Valadão, nº 32
Centro - Aracaju/SE
CEP: 49010-520
Tel. (79) 3234-9500