Maio Amarelo: Samu expõe 12 principais fatores de risco à segurança viária

16 de maio de 2018

O movimento mundial ‘Maio Amarelo – Atenção Pela Vida’ favoreceu a atuação de profissionais do Núcleo de Educação Permanente (NEP), do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em Sergipe, numa palestra ministrada nesta terça-feira, 15, para 70 estudantes do SESI/Senai, localizado na Avenida Tancredo Neves. Na ocasião, foram expostos os 12 principais fatores de risco à segurança viária. Segundo o gerente do NEP do Samu, Ronei Melo, inicialmente, esses fatores compreendiam apenas cinco aspectos em discussão, que consistiam no uso de cinto de segurança, de capacete, de dispositivos de retenção de crianças (cadeirinhas), no excesso de velocidade e no consumo de bebidas alcoólicas.

“Em abril deste ano, foram incluídos mais sete fatores de risco à segurança viária. São eles: o uso de aparelhos celulares ao volante; baixa visibilidade relacionada aos dias nublados, cuja orientação consiste na parada do veículo. As condições médicas prévias dos motoristas também foram incluídas nesse conjunto de fatores, estando elas relacionadas aos indivíduos propensos às crises convulsivas e aos ataques cardíacos”, esclareceu o gerente.

Mais fatores de risco

Ronei destaca que também fazem parte dos 12 fatores de risco o uso de medicamentos que poderão afetar a segurança viária, a exemplo dos que provocam sonolência. Outro fator é a fadiga, especialmente, relacionada aos caminhoneiros e aos profissionais da saúde, por trabalharem em regime de plantões; o uso de drogas mais comumente constatadas entre condutores, a exemplo do rebite, substância chamada de anfetamina, que é um estimulante do sistema nervoso central, capaz de fazer com que o cérebro trabalhe mais depressa e cause nas pessoas a impressão de diminuição da fadiga. A substância é, por sua vez, usada por alguns motoristas de caminhões com o objetivo de dirigir várias horas seguidas, sem descanso, para cumprir prazos predeterminados ou até faturar um extra no final de cada viagem.

O uso de eletrônicos também foi inserido na lista dos 12 fatores de risco à segurança viária. Entre os dispositivos, estão as TVs, os DVDs e Bluetooth, uma especificação de rede sem fio de âmbito pessoal. “No SESI/Senai, instruímos adolescentes de 15 a 17 anos para que se tornem protagonistas na tarefa de contribuir para um trânsito mais seguro, no sentido de prevenir acidentes. Como futuros condutores e influenciadores dos próprios pais ou responsáveis, eles se configuram como peças importantes nesse processo, ou seja, como cidadãos mais conscientes”, considerou ainda Ronei.

Para facilitar a compreensão dos estudantes, dispositivos audiovisuais foram utilizados de forma educativa durante a palestra. “Temos a certeza de que educar é a estratégica mais válida, comparada até mesmo às capacidades plenas de atendimento às vítimas, uma vez que existem ocorrências envolvendo acidentes de trânsito onde pacientes estão em situação de incompatibilidade com a vida. Tendo em vista essa realidade, a meta mundial é reduzir as mortes dessa procedência em 50%”, ressaltou ainda o gerente do NEP do Samu, cuja equipe aborda essas e outras temáticas durante todo o ano em ações do projeto ‘Amigos do Samu’.

Dados estatísticos apontam que, no Brasil, 50 mil mortes ocorrem anualmente em decorrência de acidentes no trânsito. Os casos mais graves envolvem essa situação de incompatibilidade com a vida. Entre os levantamentos realizados está também o relacionado à ausência do uso de capacetes, que aumenta em 300% as chances de traumatismo cranioencefalico. Já o uso de celulares ao volante aumenta em 100% o risco de morte em acidentes. Outro dado alarmante é o relacionado aos indivíduos ejetados dos veículos em virtude do não uso de cinto de segurança. Esse cenário representa ainda outro agravante, que é o aumento em mais de 50% das chances de morte desses indivíduos.

Maio Amarelo

A campanha deste ano usa o mote ‘Nós somos o trânsito’, aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), através da Resolução 722/2018, como inspiração para todas as peças – vídeos, spots de rádio, postos para mídias sociais, folders, cartazes, etc. A proposta é chamar a atenção sobre a importância da mudança de atitude nos deslocamentos, evidenciar que as mortes causadas por acidentes de trânsito precisam ser freadas e lembrar que cada um é responsável por mudar esse cenário adotando novos comportamentos.

Em Sergipe, o Maio Amarelo acontece mediante esforços do Governo do Estado de Sergipe e da Prefeitura Municipal de Aracaju, através do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/SE) e SMTT/Aju, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF); Polícia Militar de Sergipe, por meio do BPRv e CPTran; Corpo de Bombeiros; Samu; Guarda Municipal de Aracaju; SMTTs dos diversos municípios sergipanos; Secretaria Municipal de Saúde (SMS); Sest/Senat; Sesi; Instituto Luciano Barreto Júnior; Projeto Vida no Trânsito (PVT).

Encerramento

A participação do Samu, em Sergipe, nas ações realizadas em alusão ao Maio Amarelo ainda consistirá numa caminhada realizada no próximo dia 29, com largada na Praça da Bandeira e chegada na Praça General Valadão, ambas localizadas no Centro de Aracaju. A concentração se dará às 7h, com saída prevista para as 8h. A caminhada, que contará com o apoio do SESI, se dará em função do encerramento do movimento Maio Amarelo em Sergipe.




Secretaria de Estado da Saúde
Praça General Valadão, nº 32
Centro - Aracaju/SE
CEP: 49010-520
Tel. (79) 3234-9500